You are currently viewing As principais diferenças entre DIU e SIU

As principais diferenças entre DIU e SIU

Sabia que o DIU e o SIU são métodos contraceptivos tão confiáveis quanto as cirurgias de laqueadura? Mas sua principal vantagem é que pode ser revertido facilmente.

O DIU (dispositivo intra-uterino) e o SIU (sistema intra-uterino) são inseridos no útero da mulher e impedem a concepção. 

Além de ser facilmente reversível — basta retirar o DIU ou o SIU —, tem como vantagem o fato de ser prático para a mulher, que não precisa tomar a pílula, ou usar outro método contraceptivo.

No artigo abaixo, explicamos as principais diferenças entre o DIU e o SIU. Vamos conferir?

As diferenças entre o DIU e o SIU

Para quem busca métodos contraceptivos, já deve ter se deparado com as siglas DIU e SIU. Mas você sabe a diferença?

O dispositivo intra-uterino, ou DIU, diferencia-se do Sistema Intra-Uterino, ou SIU, principalmente no que diz respeito à liberação de hormônios.

Ambos são em formato de T, e inseridos dentro do útero. Por lá, impedem a gestação durante alguns anos.

Por exemplo, o DIU tem revestimento de cobre e não libera hormônios. Ou seja, após colocado, o dispositivo libera íons de cobre que impedem a entrada de espermatozoides no útero.

O esperma fica imobilizado, sem conseguir ultrapassar essa barreira. No entanto, o dispositivo não impede a liberação do óvulo pelos ovários. 

Após inserido no útero, pode permanecer entre 5 a 10 anos no corpo da mulher, e pode ser retirado quando a mulher decidir.

E o SIU?

Por sua vez, o SIU envolve hormônios. Portanto, a menstruação continua vindo de forma normal, mas pode ocorrer variações no fluxo menstrual. É normal, também, que as cólicas se intensifiquem.

O SIU concentra em sua haste o hormônio progesterona, que é liberado aos poucos. Mas os efeitos são tornar espesso muco do colo do útero, o que dificulta a viagem do esperma até os ovários. 

Também afina a parede do útero e o SIU pode permanecer no útero da mulher por até 5 anos.

Leia também::: Os principais sintomas da infecção urinária e como tratá-los

Qual a melhor opção?

Ambos os métodos são extremamente seguros e devem ser implantados em consultórios médicos. 

Mas a única exceção, em geral, é para aquelas pacientes que tiveram algum problema no colo do útero.

No entanto, é necessária a avaliação do médico sobre o melhor para cada pessoa. Assim como qualquer outro método anticoncepcional, a avaliação individual é importante para definir qual será usado.

Também se indica o DIU e SIU ao invés da pílula anticoncepcional que, além do esquecimento, pode causar reações adversas no corpo da mulher. 

Por exemplo, o contraceptivo pode provocar alterações, como:

  • enjoo
  • vômito
  • dor de cabeça
  • tontura
  • cansaço
  • ganho de peso
  • acne
  • cloasma (mancha escura na face)
  • mudança de humor
  • diminuição do desejo sexual
  • varizes 
  • alterações mais graves como trombose e tromboembolia pulmonar

Além disso, as pílulas com doses baixas de estrogênio tendem a causar um sangramento de escape, que ocorre devido ao uso inadequado do medicamento. 

Ou então por causa da fragilidade da parede do útero, mas esse sangramento tende a diminuir e desaparecer com o tempo.

Leia também::: Candidíase de repetição tem cura?

Converse com seu médico

Agora que você já sabe as principais diferenças ente o DIU e SIU, converse com seu médico para ver qual o método mais indicado.

Como fica claro, eles possuem diversas vantagens em relação à pilula anticoncepcional, mas é preciso deixar claro que não impedem as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

Por isso, tenha sempre relações sexuais seguras caso seja sexualmente ativa e tenha mais de um parceiro.

Portanto, caso queira mais informações sobre DIU e SIU, confira também o vídeo que preparamos para nosso canal no Youtube dando o play abaixo!