You are currently viewing OS RISCOS DA VAGINOSE BACTERIANA

OS RISCOS DA VAGINOSE BACTERIANA

A vaginose bacteriana é mais comum do que se imagina. Estima-se que cerca de 30% das mulheres terão a ocorrência ao menos uma vez na vida.

O que é a vaginose bacteriana?


É uma infecção vaginal que surge por causa de um desequilíbrio na flora vaginal, provocando corrimento, que na maioria dos casos possui a cor branca ou acinzentada.

A vaginose bacteriana ocorre quando as chamadas bactérias “más” de ocorrência natural superam em número as bactérias “boas” (lactobacilos) na vagina.

Possíveis causas da vaginose bacteriana:


  • Queda da imunidade;
  • Estresse;
  • ansiedade;
  • Deficiências nutricionais;
  • Relação sexual sem preservativo.

Com isso, a vaginose bacteriana não é considerada uma infecção sexualmente transmissível, porém a sua maior incidência é em mulheres sexualmente ativas.

Leia também: O que fazer para ter uma boa saúde íntima?

Como identificar?

Em geral, os sintomas da vaginose bacteriana são corrimento, odor forte e desconforto vaginal.

É importante deixar claro que se esse tipo de infecção não for tratada, pode prejudicar a fertilidade e provocar outros problemas como:
  • Danos às células vaginais;
  • Diminuição na produção de muco cervical saudável;
  • Aumento na inflamação;
  • Bloqueio das tubas uterinas;
  • Infecção urinária.
Pode ocorrer na gravidez?

Sim! E também é importante tratar de maneira adequada para evitar que ocorra um trabalho de parto prematuro e bebês com baixo peso ao nascer.


Embora possa causar desconforto, a vaginose pode ser tratada facilmente.


Por isso, é fundamental o acompanhamento frequente com um ginecologista para que ele possa indicar a melhor solução para você, além de manter hábitos de vida saudáveis, alimentando-se bem, praticando exercícios físicos e cuidando também da sua saúde mental!

Aqui na Clínica Mantelli temos profissionais preparados para lhe ajudar.

Clínica Mantelli
Atendimento especializado à saúde da mulher
Equipe multidisciplinar
CRM 124.315/ RQE 36685

Veja também: Qual é a diferença entre vaginismo e vulvodínia?

Conheça o nosso Instagram