You are currently viewing O que fazer para ter uma boa saúde íntima?

O que fazer para ter uma boa saúde íntima?

Quando se fala em boa saúde íntima, um dos pontos mais importantes que toda mulher deve saber é que vagina tem que ter cheiro de… vagina!

Por isso, evite sempre perfumes íntimos. Além de mudar o cheiro da região íntima, eles acabam mudando o pH da vagina e favorecendo o surgimento de infecções e doenças.

A área íntima é a parte mais delicada do corpo da mulher, pois a flora vaginal segue suas próprias regras e, para manter seu equilíbrio, deve ser cuidada de forma diferente do resto do corpo.

Mas para saber como manter uma boa saúde íntima, preparamos o artigo abaixo com algumas dicas para você. Confira!

1. Não é necessário exagerar

A maneira ideal de se fazer a higiene íntima é realizar a lavagem da região com água e sabonete, podendo ser feita durante o banho, uma a duas vezes por dia. 

Não há necessidade de lavagem em excesso, porque isso pode tirar a proteção natural da região, e essa retirada da proteção pode desencadear infecções.

2. Use sabonete íntimo

O sabonete íntimo tem o pH fisiológico ligeiramente ácido para manter a vagina com a sua acidez ideal. Usar sabonete com outro tipo de pH pode alterar o da região genital, predispondo a região a infeções vaginais. 

Mas, é importante conversar com o ginecologista para usar o sabonete íntimo adequado, pois alguns contêm muito conservantes ou substâncias químicas que podem também, a longo prazo e em excesso, causar infecções vaginais.

E principalmente: o sabonete íntimo não precisa ser colocado diretamente na região íntima, a mulher pode colocar na mão, fazer espuma e depois aplicar na região para lavagem adequada. Também não há necessidade de aplicar o sabonete dentro da vagina.

Leia também::: Quais são os benefícios do óleo de coco para a saúde da mulher

3. Use calcinhas de algodão

Outra dica é preferir sempre calcinhas de algodão. Esse tipo de tecido permite a livre circulação de ar na região, não “abafando”.

Por exemplo, os tecidos sintéticos podem deixar a região mais abafada e, com isso, causar mais infecções genitais. Portanto, o melhor tipo de lingerie para o dia a dia é a calcinha de algodão: deixe os outros tecidos para alguma situação mais especial.

4. Não use lenços umedecidos no dia a dia

O lenço umedecido pode ser utilizado em situações de exceção, como quando a mulher está fora de casa, em um ambiente de trabalho ou fazendo uma viagem de avião e está no período menstrual, por exemplo, e quer fazer uma higienização rápida.

Mas, ele não deve ser utilizado todos os dias porque pode causar ressecamento da região, atrapalhando a acidez do local e também tirando a barreira protetora e impactando diretamente na boa saúde íntima.

5. Evite roupas que dificultam a transpiração

Existem tecidos sintéticos, algumas lycras e, principalmente roupa de ginástica e biquínis, que não deixam a região ter a transpiração necessária.

Eles podem propiciar o acúmulo de suor e deixar a região ainda mais úmida, alterando o pH vaginal, predispondo a região a infecções, principalmente por fungos.

Por isso, é importante, após a atividade física, a mulher já realizar a troca da roupa da ginástica. E, ao sair da piscina ou mar, também realizar a troca da roupa, pelo menos a parte de baixo, para manter a região íntima sempre seca.

6. Higiene pós-relação sexual

Aliás, é essencial a higiene íntima após a relação sexual. Ela evita infecções genitais e também infecções urinárias após a relação. Para isso, após a relação sexual, se indica que a mulher urine e faça a lavagem com água e sabonete íntimo.

Leia também::: Corrimento vaginal recorrente é normal?

Procure atendimento especializado

Como mencionamos lá no início, a vagina exala um cheiro natural. Se ela apresentar odor, pode ser sinal de que há algo errado. Neste casos, o recomendado é sempre procurar um ginecologista para detectar qual é o problema.

Por exemplo, o odor pode ser de alguma infecção, corrimento ou outra doença, e quanto mais cedo for iniciar o tratamento, melhores os resultados.

Esperamos que tenham entendido como manter uma boa saúde íntima e, para saber mais sobre a candidíase de repetição, confira o e-book que preparamos sobre o tema. Para baixá-lo gratuitamente, basta clicar no botão abaixo!