O papel da saúde emocional durante a gestação

O papel da saúde emocional durante a gestação

Quando uma mulher está grávida, logo pensamos no melhor para sua saúde. O que ela deve ou não comer, como se exercitar, quais exames deve fazer. 


De fato, esse é o procedimento correto. Tudo deve estar de acordo para que o bebê nasça saudável. Mas apenas a saúde física importa neste caso?


A verdade é que a saúde emocional durante a gestação tem um papel fundamental. Não apenas para o bem da mãe, mas também de seu bebê. 


Neste texto, vamos falar sobre porque a saúde emocional é tão importante. Acompanhe: 


Saúde emocional durante a gestação: antes de nascer, o bebê já sente 


Existem inúmeros estudos que explicam que o bebe dentro da barriga sente, escuta e também sofre. Mas não é apenas isso. Toda essa sensibilidade também tem uma parte boa. 


Ainda na barriga, o bebê tem percepção e sensações provocadas por fatores externos. Ele pode sentir e ele pode aprender ainda na barriga da mãe.


Assim, ao longo do pré-natal, é possível criar o que nós chamamos de reflexo condicionado. Você sabe o que é isso?


O que é reflexo condicionado? 


Pense o seguinte: todo dia, ao longo dos nove meses de gestação, você coloca a mesma música, faz um relaxamento, põe a mão na barriga, conversa com o bebê sempre positivamente. 


Frases como “você foi muito planejado”, “você vai nascer com muita saúde”, “estamos esperando por você”, podem ser usadas com frequência nesse momento. 


Assim, toda vez que toca uma determinada música o bebê associa que está tudo bem. Isso, claro, acompanhado da voz do pai e da mãe. 


Na hora do parto, esse ambiente de relaxamento será recriado. Essa é uma forma de deixar o bebê mais tranquilo e ambientado com o que está acontecendo. 


Nascimento calmo e saudável


Você sabia que o maior trauma da vida de um ser humano é o nascimento? Afinal, saímos de um lugar quentinho, somos tirados da mãe abruptamente e há muito barulho. 

Quando fazemos esse nascimento que se baseia no reflexo condicionado, ele é o menos traumático possível. 


Se faz um corte tardio do cordão umbilical, o bebê nasce e vai diretamente para o peito da mãe.  


Assim, temos uma série de benefícios como:


  • O calor da mãe evita que o bebe de perca o seu calor;

  • Cortar o cordão tardiamente faz com que ele receba mais células tronco que vai ajudar na imunidade;

  • Em contato com a mãe, o bebe consegue escutar o coração dela, que era o som mais alto que ele escutava. Isso vai acalmá lo;

  • Só de ele ter contato com o mamilo da mãe, mesmo que ainda não mame, já ajuda na produção de prolactina e isso faz o leite descer mais rápido;

  • A mesma glândula que produz prolactina, produz ocitocina que vai fazer o útero contrair e diminuir a hemorragia do pós parto; 


Gestação e nascimento tranquilo para uma vida melhor


Mães que passam por estresse na gestão aumentam o risco desse bebe, na vida adulta, sem depressiva. 


Cuidar da parte emocional é tão importante quanto a parte física. Talvez os efeitos sejam perceptíveis na hora do nascimento, mas é possível notar ao longo de uma vida.


Ressaltamos também a importância de uma rede de apoio estruturada e participativa.


A nova mãe precisa ter por perto pessoas que a deixem mais segura, que não julguem suas decisões. 


A maternidade não é fácil, desafios e dificuldades virão, todas as mamães são passíveis de erros e acertos. Com uma boa rede de apoio e cuidado à saúde emocional, todos ganham: mamães e bebês. 


Para continuar recebendo conteúdo como esse, nos acompanhe nas redes sociais. Assim você saberá tudo sobre a saúde da mulher como um todo!