A real importância de manter uma alimentação saudável durante a gravidez

Durante a gravidez, o corpo da mulher passa por muitas mudanças. Mais do que nunca é preciso estar atento à saúde e principalmente à alimentação. Mas qual será a real importância de manter uma alimentação saudável durante a gravidez? 

Não é atoa que a maioria das gestantes reclamam de fome o tempo todo: o desgaste calórico nesse período é maior, por isso a mulher tem mais fome. E aí, o risco de comer mais, sem prestar atenção na qualidade dos alimentos aumenta.

Esse é um tema que devemos ficar atentos. Afinal, a alimentação durante a gestação influencia não apenas a mãe, mas também o bebê. É através dela que diversos fatores são influenciados, como calorias e capacidade nutricional. 

 

A importância de manter uma alimentação saudável durante a gravidez: 

Manter uma alimentação saudável durante a gestação é a principal forma de evitar o desenvolvimento de doenças. Algumas das doenças que podem ser desenvolvidas pela má alimentação, são: 

  • Hipertensão;
  • Obesidade; 
  • Colesterol elevado;
  • Diabetes gestacional;

Vale lembrar que isso afeta tanto a mãe quanto o bebê. Além disso, é através de dieta correta e saudável que o aumento de peso acontecerá adequadamente. Assim, é possível garantir o desenvolvimento saudável do bebê. 

Mas não pense que essa atenção ao consumo de alimentos deve permanecer somente durante a gestação. Enquanto a criança ainda depender da mãe para se alimentar, a dieta deve permanecer com foco em nutrientes e vitaminas

É com a alimentação balanceada, que a mãe garante que a amamentação será nutritiva. Esse poderá ser o único alimento do bebê durante os seis primeiros meses. Quanto mais saudável for a alimentação da mãe, mais saudável será seu leite. 

Além disso, a alimentação durante a gravidez também influenciará o paladar do bebê para o resto da vida. Se a mãe não consome frutas e verduras durante a gestação, as chances da criança recusar esses alimentos é muito maior. 

Então, se não existia uma preocupação com a dieta antes, agora é a hora de mudar isso. 

 

Leia também:: Os diferentes tipos de partos e suas características: como escolher o ideal?

 

O que define uma alimentação saudável para gestantes: 

Nesse período, os alimentos que devem ter preferência são os naturais. Frutas e legumes devem estar no topo da dieta, junto com raízes, tubérculos e hortaliças. 

Alimentos ricos em cálcio, por exemplo, fazem muito bem para o feto. Ele é responsável pela formação dos ossos, nervos e músculos. Além disso, o ferro também é uma substância fundamental.

Em geral, as gestantes necessitam de muito ferro, e muitas vezes é necessário fazer a suplementação desse mineral. Uma de suas funções fundamentais é o repasse de oxigênio para a placenta. O ferro é encontrado em alimentos como:

  • Carne vermelha;
  • Vegetais de cor verde-escuro;
  • Lentilha;
  • Feijão;

Uma excelente dica é consumir esses alimentos combinando com Vitamina C. Então, um suco de laranja ou de limão pode ajudar muito. Isso fará com que o ferro seja absorvido mais facilmente pelo organismo. 

Vale lembrar: quando se reduz o consumo de alimentos industrializados e aumenta o consumo de produtos naturais, a alimentação se torna mais saudável.

Evitar alimentos ricos em açúcar e gordura previne o ganho exagerado de peso e o desenvolvimento de doenças como diabetes. 

 

Quais alimentos devem ser evitados durante a gravidez?

Vamos chamar atenção para alguns dos alimentos que devem ser evitados pelas tentantes e gestantes, pois, podem fazer muito mal ao organismo. Eles podem aumentar as chances de diabetes gestacional. Então, evite alimentos como: 

 

  • Salsichas: São artificiais, repletas de conservantes e aditivos;

 

  • Refrigerantes: Riquíssimos em açúcar e conservantes, contribuem para o ganho de peso e resistência insulínica;

 

  • Batata frita: Além de geralmente ser preparada em óleos de qualidade ruim, representa uma verdadeira bomba calórica.

 

  • Sorvetes: Também costumam ser muito açucarados, recheados de gorduras de má qualidade, corantes artificiais, além de outros aditivos;

 

  • Pizza: Entra na lista por conta do glúten, excesso de queijos e molhos que costumam acompanhar, aumentando a sensação de inchaço (que já costuma ser incômoda para a gestante); 

 

Essa restrição é radical? 

Não queremos parecer radical demais e dizer que a gestante nunca poderá consumir algum desses produtos durante a gravidez ou tentativa de engravidar. Mas, é importante reduzir ao máximo o consumo, ciente dos males que esses produtos podem causar.

E lembre-se: quem deve saber exatamente como montar a dieta da gestante é o seu médico. Somente um profissional saberá exatamente quais as necessidades de cada corpo. 

Se você é do time das mulheres que estão tentando engravidar ou tem interesse em saber mais sobre infertilidade, conheça o nosso e-book “Desvendando as principais causas da Infertilidade”.

Ele é gratuito, pode ajudar muito e solucionar o problema da infertilidade e realizar o tão esperado sonho da gravidez. 

Comentário

Nenhum comentário neste post. Faça o primeiro.

Deixe um comentário

WhatsApp