Existe parto orgásmico? A Dra Érica explica!

É bastante raro, mas o parto orgásmico pode acontecer sim. Como o parto é envolvido com muitas questões hormonais, fisiológicas e de mudanças no corpo feminino, até mesmo um orgasmo pode acontecer nesse mágico momento.

 

E não há erro algum! Ao contrário, quando isso acontece, dá ainda mais prazer a esse momento tão aguardado pela mamãe!

 

Para explicar sobre esse chamado parto orgásmico, pedimos a nossa ginecologista, obstetra e especialista em saúde sexual Dra Érica Mantelli que falasse sobre o tema.

 

Vamos lá?

 

O que é o parto orgásmico

De acordo com Dra Érica, toda mulher pode vivenciar um parto orgásmico, mas poucas terão esse prazer. O parto é um evento natural e muito semelhante ao ato sexual, e como tal, os hormônios envolvidos durante o trabalho de parto, somados à passagem do bebê pela pelve feminina, vão estimular ainda mais os hormônios e musculaturas envolvidas no orgasmo.

 

Tanto no parto quanto no orgasmo, o corpo feminino produz ocitocina, que é uma substância conhecida como “hormônio do amor”. Somada aos neurotransmissores, como a serotonina e o triptofano, elas causam o prazer vivido pela mulher.

 

Durante o parto, há um pico hormonal, fazendo com que a passagem do bebê coopere para um possível parto. “O canal vaginal é revestido pelas terminações nervosas do clitóris, órgão feminino responsável pelo prazer da mulher”, explica Dra Érica.

 

Leia também::: Masturbação na gravidez: entenda os benefícios

 

Não tem conotação sexual

É importante deixar claro que um parto orgásmico não é o mesmo que uma relação sexual. O orgasmo sentido pela mulher é diferente do ápice do sexo. “É o prazer extremo de uma conquista, de ter o seu corpo entregue para uma sensação de energia, de estar vivenciando algo íntimo com a sua natureza feminina”, fala a especialista em saúde sexual.

 

Dra Érica ainda explica que o orgasmo sentido durante o parto não é igual ao sentido na relação sexual. Se no sexo esse é a máxima sensação de prazer feminino, no parto esse momento está relacionado com o máximo feminismo da mulher. 

 

Além disso, cada mulher experimenta sensações diferentes durante o orgasmo. Enquanto algumas se sintam relaxadas, há aquelas que sentem o corpo trêmulo, frequência cardíaca aumentada, contrações involuntárias na vagina, entre outros. 

 

Segundo Dra Érica, assim como o orgasmo durante o sexo, o parto orgásmico também pode causar sensações diferentes na mulher. “O trabalho de parto é muito complexo. Há quem consiga ressignificar a dor, estar envolvida com aquele momento, vivenciar totalmente a ação da ocitocina e entender que a dor dela não precisa ser um sofrimento, mas isso não acontece com todas as mulheres”, ressalta ela. 

 

A ginecologista explica que dependerá também da assistência que a mulher recebe no momento, e que pode ocorrer com mais facilidade nos casos de parto humanizado. “As mulheres se sentem empoderadas, que deixam o corpo delas trabalharem, que vão confiando mais na natureza”, informa. 

 

Por fim, ela diz que não há regra. “Têm mulheres que podem vivenciar a exceção realmente, e têm mulheres que vão ter um parto lindo, natural, humanizado, que também poderão não sentir”, encerra a médica.

 

Aproveite ao máximo

Ou seja, o parto orgásmico é real e toda mulher pode ser abençoada por ele. E claro que há várias circunstâncias envolvidas no processo para que a mulher possa ter esse ápice do feminismo durante o mágico momento da concepção.

 

Aqui na Clínica Mantelli temos uma equipe multiprofissional formada por especialistas que podem lhe ajudar durante todo o processo da gestação, parto e pós-parto, para que você viva esse momento da forma mais sublime. Seja com parto orgásmico ou não!

 

Comentário

Nenhum comentário neste post. Faça o primeiro.

Deixe um comentário

WhatsApp